BEM-VINDO AO BLOG DE ELIANA BELO
Arquivo virtual de História, Memória e Patrimônio de Indaiatuba (SP) e região.*

Este blog só é viável com o auxílio de vários colaboradores; seja um também, divulgando seu (s) texto (s) ou imagem (ns).

CITE A FONTE ao fazer uso de textos ou imagens publicados neste blog; grande parte do material foi cedido generosamente por colaboradores.

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Todo dia era dia de índio

 Texto de Maria Luisa da Costa Villanova
Historiadora pós-graduada em arqueologia


Conhecida música da Baby do Brasil é sempre lembrada em 19 de abril ou Dia do Índio.

O dia 19 de abril é Dia do Índio, não só no Brasil, mas em todo continente americano. É que nesta data em 1940, foi realizado no México, o Primeiro Congresso Indigenista Interamericano, onde foram convidados governantes dos países participantes e também vários líderes indígenas, estes, depois de muito hesitarem, resolveram comparecer entendendo a importância do acontecimento. No Brasil a data comemorativa foi criada por Getúlio Vargas em 1943, através do decreto lei 5.540.

Ainda hoje importante, pelo menos neste dia, vários eventos ocorrem, o que ajuda na reflexão sobre a preservação e manutenção das terras e cultura desses povos que são realmente os donos dessa terra.

Nossa cidade, Indaiatuba, é uma junção de dois termos da língua tupi-guarani: "Indaiá" que designa um tipo de palmeira, e "tuba", que equivale a grande quantidade. Portanto,  "Indaiatuba" significa " muitos Indaiás".

Assim como nossos indaiás, nossos índios também não são mais encontrados por aqui.

A região do estado de São Paulo, era habitada por tribos indígenas que falavam línguas pertencentes ao tronco linguístico macro-jê, (grupos indígenas viviam nas proximidades das nascentes de córregos e rios, viviam basicamente da coleta de frutos e raízes e da caça), desde aproximadamente 12000 a.C., até aproximadamente o ano 1000 quando então tribos falantes do tronco linguístico tupi, vindos do sul do Amazonas, começaram a ocupar o litoral brasileiro, foram estes os primeiros a ter contato com os portugueses, quando estes chegaram.

Mas voltando a falar sobre nossa cidade, Indaiatuba acredita-se tenha sido ocupada por grupos tupi-guarani, e a maior comprovação vem principalmente das descobertas feitas  em Monte-Mor.

Na Rua Siqueira Campos 169, jardim São Jorge ,em Monte Mor, temos o Museu Elizabeth Aytai, que foi fundado em novembro de 1988 pelo antropólogo húngaro que aqui vivia, Dr. Desidério Aytai, que foi procurado por um fazendeiro da região dizendo ter encontrado em suas terras objetos que deveriam ser de índios, foi então encontrada a primeira urna funerária tupi, com cerca de 800 a 1000 anos de idade, assim como muitos objetos, muitos ainda no referido museu.

Aqui em Indaiatuba, existe uma tradição oral de que onde hoje é a Praça Prudente de Moraes, havia um cemitério indígena e que ainda hoje os prédios do Correio e vizinhos acontecem alguns barulhos estranhos, já pesquisei bastante sobre o isso e não consegui nenhuma comprovação, mas.....

Nessa época de informática, se quiser saber mais sobre nossos índios e até participar de jogos, entre no: https://mirim.org/.





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

POSTAGENS MAIS PROCURADAS - Última semana

Entre em contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

.

Indaiatuba - A cidade que tem um urubu de estimação

Indaiatuba - A cidade que tem um urubu de estimação
Ave silvestre foi domesticada e atualmente voa livremente pela cidade, pousando em logradouros públicos, tornando-se conhecida e querida pelos indaiatubanos. Ajude a preservar!

SEGUIDORES